BENEFÍCIOS DE SER SINDICALIZADO

CONVENÇÕES COLETIVAS DE TRABALHOS 

A convenção coletiva de trabalho firmada entre o sindicato patronal e dos trabalhadores é um instrumento poderoso para harmonizar a relação capital e trabalho e ao mesmo tempo criar condições favoráveis para ambos durante sua vigência.

Criamos algumas cláusulas para dar melhor estabilidade às empresas quando vinculadas à entidade buscando esta proximidade, pois confiamos que só se pode caminhar junto se tiver utilidade à relação.

No caso da clausula sobre o REPIS a empresa economiza um valor considerável em valor de salários e encargos, caso efetivar com documentação e recebendo certificado, junto à entidade Patronal.

Vejam os valores abaixo e as condições na convenção de trabalho 2019.

R$ 1.330,62 (hum mil, trezentos e trinta reais e sessenta e dois centavos) mais a título de ABONO o valor de 33,27 ( trinta e três reais e vinte e sete centavos), perfazendo o valor de R$ 1.363,89 ( Hum mil trezentos e sessenta e três reais e oitenta e nove centavos).

Valor de referência para empresas que não tem REPIS:
R$ 1.363,89.

O REPIS é o Regime Especial de Piso salarial que possui condições especiais para as empresas utilizarem um piso diferenciado no setor, o qual é alterado anualmente quando do fechamento da convenção coletiva.

• Para Micro e pequenas empresas com faturamento anual até R$360.000,00, o piso a ser utilizado é de R$ 1.163,65 (hum mil, cento e sessenta e três reais e sessenta e cinco centavos) mais a título de ABONO o valor de 23,27 ( vinte e três reais e vinte e sete centavos), perfazendo o valor de R$ 1.186,92 ( Hum mil cento e oitenta e seis reais e noventa e dois centavos).

VALOR DE REFERÊNCIA PARA EMPRESAS QUE TEM REPIS, ENQUADRADO NESTA CONDIÇÃO = R$ 1.186,92.

DEMAIS EMPRESAS QUE NÃO SE ENQUADREM NA CONDIÇÃO ACIMA:

O piso a ser utilizado é de R$ 1.220,96 (hum mil, duzentos e vinte reais e noventa e seis centavos) mais a título de ABONO o valor de 24,42 ( vinte e quatro reais e quarenta e dois centavos), perfazendo o valor de R$ 1.245,38 ( Hum mil duzentos e quarenta e cinco reais e trinta e oito centavos).

VALOR DE REFERÊNCIA PARA EMPRESAS QUE TEM REPIS, ENQUADRADO NESTA CONDIÇÃO = 1. 245,38.

É importante verificar anualmente os termos de condições bem como os prazos para adesão do REPIS através da Convenção Coletiva vigente no período, a mesma pode ser solicitada através do e-mail: shrbspp@stetnet.com.br.

Com esta cláusula conseguimos atender algumas questões fundamentais do trabalhador e empregador com um valor relativamente pequeno podendo em caso de sinistro ter atendimento de forma imediata e precisa. E, ao mesmo tempo fornecer ao empresário (a) condições de poder cumprir uma relação social com o seus funcionários.
Outro aspecto positivo é que o empregador não tem maior custo financeiro em encargos, que o teria se fosse usado o valor como aumento de salário.

“CLÁUSULA VIGÉSIMA SEGUNDA: DO SEGURO DE VIDA E ACIDENTES PESSOAIS, as empresas se obrigam a contratar, em benefício dos seus trabalhadores, um Seguro de Vida e Acidentes Pessoais em Grupo, desde a admissão na empresa, com as coberturas previstas no parágrafo segundo desta clausula.”

“ § 1º – As empresas deverão adaptar seu seguro as novas condições desta CCT, a partir de 01 de Janeiro de 2016;
§ 2 º – As empresas se obrigam ao pagamento mensal, por trabalhador, de um prêmio de seguro de vida no valor mínimo de R$ 7,00 (sete reais)… ”

BANCO DE HORAS

Consciente que o nosso setor existem dias de pico, bem como dias com menor movimento, criamos esta cláusula com a finalidade de poder compensar os dias de excesso de horas trabalhadas em um dia, com outro dia de menor movimento, tendo até 90 dias para esta compensação.
Neste caso o empregador estará dispensado do pagamento de horas extras.

“CLÁUSULA SEGUNDA DO ADITAMENTO – JORNADAS PARA TURNOS ININTERRUPTOS: Sobre trabalhos realizados em turnos ininterruptos, determinado no inciso XIII e XIV Art. 7º da Constituição Federal, acorda-se entre as partes que: conforme as necessidades do empregador, fica facultado entre as jornadas de 08 (oito) horas diárias ou de 12 (doze) pôr 36 (trinta e seis) horas.”

“CLÁUSULA TERCEIRA DO ADITAMENTO – BANCO DE HORAS: Nos termos da lei 9.061/98 (que alterou a redação do artigo 59 da CLT), poderá ser dispensado o pagamento de horas extras acima, quando o excesso de horas de um dia for compensado pela correspondente diminuição em outro dia de maneira que não exceda, no período máximo de 90 (Noventa) dias à soma das jornadas semanais de trabalho previsto, nem ultrapasse o limite máximo de dez horas diárias.”

Citamos apenas algumas cláusulas que trazem benefício direto às empresas.

Com relação às cláusulas econômicas temos seguido negociações com parâmetros de índices oficiais do INPC e elas são amplamente discutidas com uma comissão de negociação coletiva criada ano a ano para nos fortalecer nas discussões.

(Faça parte das discussões das convenções coletivas, pois você empresário (a) é o maior interessado)

Notícias Recentes

19º Encontro da Hotelaria e Gastronomia Mineira – Edição Brumadinho-MG

O ENCONTRO DA HOTELARIA E GASTRONOMIA MINEIRA, um dos mais importantes eventos da hotelaria brasileira, promovido pela FBHA – Federação Brasileira de [...]

Bares e restaurantes de Presidente Prudente se adaptando para eliminação dos canudos de plástico

Como a LGPD pode afetar a divulgação do seu restaurante

Com a introdução da Lei Geral de Proteção de Dados, que entrará em vigor em agosto de 2020, o [...]

CNC revisa de +1,3% para +1,4% expectativa de crescimento do PIB em 2018

CNC revisa de +1,3% para +1,4%

STF suspende decisão do TCU no caso de comercialização dos vales refeição e alimentação

STF suspende decisão do TCU

Alexandre Sampaio é reconduzido à Presidência do Cetur/CNC

O presidente da Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC), José Roberto Tadros, reconduziu o diretor [...]

O Sindicato

Desenvolver junto à categoria projetos de representação com o objetivo de defender interesses mútuos e conquistas de benefícios em toda a base territorial.
Criar dinâmicas de fortalecimento do setor que representamos;
Buscar incessantemente, capacitação, qualificação e requalificação do setor, visando o empresário e o trabalhador.

Ser um espaço de representação fértil e aberto ao empresário (a) para que o mesmo (a) sinta-se seguro e a vontade para buscar informações e serviços e ao mesmo tempo um centro de referência para ações que envolvam o empresariado do setor de hospedagem, alimentação e o trade do turismo.

Valorização RH – Relação Humana como ponto de partida para as suas ações;
Atuar com foco na verdade do seu representado e buscar parcerias para levar a ele benefícios e fidelização do setor, em harmonia com a entidade;
Fomentar envolvimento Social nas ações da entidade;
Equilibrar interesses e responsabilidades entre o setor patronal e dos trabalhadores.

• Atendimento aos empresários (as) do setor na sede do sindicato.
• Atendimento Jurídico com horários previamente agendados.
Escritório de Advocacia Mungo & Carneiro
Dr. Renato Mungo – renatomungo@advocaciamc.com.br
Dr. Jurandir Carneiro – jurandir.carneiro@advocaciamc.com.br
Telefone para contato: 018 3908 3296